Sais de Schussler

Um pouco de história:

O Dr. Samuel Hahnemann, pai da Homeopatia, tentou utilizar, juntamente com outros homeopatas, sais inorgânicos para a recuperação da saúde, mas sem grande resultado. Posteriormente, o Dr. Wilhelm Heinrich Schüssler (1821-1898), médico alemão, homeopata, formalizou a investigação sobre 12 desses sais, que hoje levam seu nome.

Começou a sua pesquisa com o objetivo de criar uma terapia que simplificasse o uso dos infinitos remédios homeopáticos e, juntamente com outros especialistas da época, deu origem ao que hoje conhecemos como “Bioquímica”.

Schüssler, sempre teve um grande interesse na Lei de Liebig, também conhecida por Lei do Mínimo, a qual estabelece que a perda da saúde é devida à falta de certos minerais nas células. Inspirando-se no trabalho de Moleschott, analisou as cinzas de um grande número de pessoas que haviam sido cremadas.

Ao investigar este assunto, Schüssler integrava dados clínicos de cada uma das pessoas cuja cinza analisava. Anotava o nome e data de nascimento, assim como as patologias de que haviam padecido durante a sua vida. Este estudo sistemático demonstrou que nos pacientes há pelo menos a carência de um sal fundamental, ou base, e de outro secundário ou complementar, que leva ao aparecimento dessas patologias. Verificou ainda que em órgãos ou tecidos diferentes há predominância de um sal específico, por exemplo; no tecido muscular encontrou basicamente, fosfato de potássio (Sal nº 5 Kalium phosphoricum Kalium phosphoricum) e fosfato de magnésio (Sal nº 7 Magnesium phosphoricum Magnesia phosphorica), nas membranas e mucosas detetou o cloreto de potássio (sal nº 4 Kalium chloratum Kalium muriaticum) e no tecido ósseo o fosfato de cálcio (sal nº 2 Calcium Phosphoricum Calcarea phosphorica). No seu primeiro ensaio administrou fosfato de magnésio a pacientes com caibras musculares e observou que passado pouco tempo os sintomas desapareciam. Com base nos seus estudos concluiu que se as células não recebem do sangue a quantidade adequada de cada um dos 12 sais bioquímicos estudados, se desequilibra o seu funcionamento e metabolismo, o que leva a enfermidades diversas. As diluições homeopáticas dos sais permitem a sua entrada nas células.

Os 12 Sais de Schussler

Nº1 Calcarea fluorica (Calcium fluoratum) D6O Sal “da elasticidade” – pele, unhas e ossos

Nº 2 Calcarea phosphorica (Calcium phosphoricum) D6 O sal “dos ossos e dentes”

Nº 3 Ferrum phosphoricum D12 O sal “de primeira linha”

Nº 4 Kalium muriaticum (Kalium chloratum) D6 O sal “das mucosas”

Nº 5 Kalium phosphoricum D6 O sal “dos nervos e da mente”

Nº 6 Kalium sulphuricum D6 O sal “da inflamação crónica”

Nº 7 Magnesia phosphorica D6 O sal “da dor e da cólica”

Nº 8 Natrum muriaticum (Natrum chloratum) D6 O sal “do balanço hídrico”

Nº 9 Natrum phosphoricum D6 O sal “do equilíbrio ácido básico”

Nº 10 Natrum sulfuricum D6 O sal “da excreção”

Nº 11 Silicea D12 O sal “da beleza”

Nº 12 Calcarea sulphurica (Calcium sulfuricum) D6 O sal “purificante”

Nota: O artigo requer orientação de um profissional qualificado, não tome nenhuma medicação sem a orientação de um profissional qualificado.

Partilhar

One Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.